Radar da Web




Smart TVs podem se tornar grande alvo de hackers, alerta Symantec



Publicado em 05/12/2015 |

#seguranca



FacebookGoogle+LinkedInTwitterE-mail

Smart TVs podem se tornar grande alvo de hackers, alerta Symantec

A última geração de televisores permite que você faça muito mais do que assistir a novelas, seriados, telejornais ou o canal de esporte. Televisores conectados permitem, entre outras coisas, que você navegue na Internet, assista conteúdo sob demanda e baixe aplicativos, para citar alguns exemplos.

E a medida que essas televisões se tornam mais comuns nas casas de pessoas mundo afora, é de se prever - com certa paranoia - que elas também acabem atraindo a atenção não somente de canais e produtoras, mas também de pessoas com segundas intenções na sua programação. Literalmente.

Para colocar as coisas em perspectiva, alguns relatórios preveem que somente na América do Norte e na Europa Ocidental, haverá 100 milhões de TVs conectadas até 2016.

Candid Wueest, analista de segurança da Symantec, testou uma série de televisores da nova geração “smart” para ver como eles estavam seguros contra ataques.

Em post publicado no blog da companhia, ele examina algumas questões importantes referentes a smart TVs, incluindo formas de como elas podem ser atacadas, por que alguém ia querer invadi-las e o que você pode fazer para evitar toda essa dor de cabeça.

Segundo o analista, o cenário mais comum para um ataque é a instalação de um malware diretamente na TV. Além de fazer isso de forma manual através de uma porta USB, há outras formas mais criativas de induzir o usuário a baixar um malware.

Ao baixar um aplicativo para sua TV, por exemplo, um hacker poderia interceptar o pedido e redirecioná-lo a outro servidor. Isso quer dizer que, ao invés de baixar o app real de um servidor legítimo, você estará o fazendo de uma fonte maliciosa. Uma vez baixado, você ainda terá de aceitar os pedidos de permissões pelo app infectado, mas como você não sabe que ele é de uma fonte não autorizada, é bem provável que você aceite os termos de qualquer forma.

Outras formas de invadir sua TV: explorar vulnerabilidades de software. Uma vez que uma TV pode ser usada para navegar na web, tudo que o cibercriminoso precisa é fazer com que você visite um site malicioso que poderá detectar a vulnerabilidade de software e explorá-la. A falta de atualizações também pode deixar sua TV e seus dados a mercê de criminosos.

E você pode se perguntar por que alguém iria querer invadir sua TV, quando seus dados mais importantes estão no computador, certo?

O analista de segurança aponta algumas motivações.

Publicidade pode ser um negócio rentável na Internet, caso usuários cliquem em anúncios. A fraude de cliques, por exemplo, pode ser uma fonte de renda para cibercriminosos. Resumindo, como televisores ficam ligados por um bom período de tempo, cliques constantes realizados no plano de fundo, sem o conhecimento do usuário, podem gerar receita para cibercriminosos.

Roubar credenciais de contas de serviços de streaming ou de lojas de apps também é outra possibilidade. Recentemente, um relatório de segurança da McAfee Labs apontou que cibercriminosos estavam colocando à venda contas e senhas do Netflix na Dark Web.

Infectar TVs inteligentes com ransomware pode ser um cenário potencialmente lucrativo para criminosos. Além disso, ela pode também dar acesso a outros dispositivos conectados da sua casa e ser uma ameaça a sua privacidade, a medida que você guarda dados e credenciais na sua TV.

O que fazer

Segundo o analista de segurança, caso você tenha uma TV inteligente é interessante que você adote alguns cuidados.

Durante a configuração da TV, reveja a política de privacidade e entenda quais são os dados que você está concordando em compartilhar. Vale lembrar que muitas companhias compartilham e vendem dados de usuários para terceiras partes.

Seja cuidadoso ao instalar aplicações não verificadas de fontes que você não conheça e ative a verificação de aplicativos no menu Configurações quando possível.

Desligue recursos que não são usados com frequência: câmera ou microfone e considere cobrir o sensor de câmera com uma fita adesiva.

Use um método forte de criptografia para sua rede Wi-Fi, como WPA2. Seja cuidadoso quando comprar televisores inteligentes usados, eles podem ter sido comprometidos anteriormente.

Instale as atualizações assim que elas ficarem disponíveis e se possível ative as atualizações automáticas.


Fonte: idgnow.com.br

Leia também


Comentários

Nenhum comentário enviado. Seja o primeiro a comentar, clique aqui

Copyright © 2013/2017 Radar da Web. Todos os direitos reservados.
Topo